fbpx

Pesquisa de Subtexto de Martin Lindstrom

Pesquisa de Subtexto Martin Lindstrom

Pesquisa de Subtexto Martin Lindstrom

Os 7 Passos da Pesquisa de Subtexto de Martin Lindstrom

Pesquisa de Subtexto de Martin Lindstrom se baseia na metodologia 7c, criada pelo autor, para identificar pequenas pistas que refletem grandes oportunidades de mercado.

Os 7 passos da Pesquisa de Subtexto são: coleta, comunicação, conexão, correlação, causalidade, compensação e conceito.

A Pesquisa de Subtexto de Martin Lindstrom é realizada principalmente dentro de casas de consumidores e visa, através de observar seus pertences e seus costumes, entender quais são os gaps emocionais que aquela pessoa e a sociedade na qual ela está inserida possuem.

Mas vamos aos 7 passos!

Coleta: Como Suas Informações São Traduzidas em Uma Casa?

coleta é o primeiro passo da Pesquisa de Subtexto de Martin Lindstrom. Aqui, você quer entender o contexto no qual a pessoa está inserida antes de encontra-la.

É necessário remover o filtro de nossos interesses, crenças, preocupações e preconceitos para que possamos entender o fenômeno objetivamente.

O interessante é conversar com observadores sociais e culturais, ou seja, cabeleireiros, garçons, pessoas que tem contato com várias pessoas, além de pessoas de fora. Assim, você tenta entender o que acontece na cidade, como são as pessoas, quais sãos os eventos em que elas vão, o que as dividem, como é a coleta de lixo da cidade, se as pessoas se olham nos olhos ou se evitam, se elas já sentiram medo naquele local (se sim, o porquê) etc.

Enfim, você quer entender o que é aquele lugar aos olhos dos outros. Quem vive ali e como vive e assim entender um pouco sobre a tradição, o clima, a regência e a religião do local também.

Aqui você quer ter o máximo de perspectivas diferentes e confiáveis para começar a criar hipóteses sobre os consumidores daquele local.

Se for o trabalho pra uma marca específica, converse com usuários atuais, antigos usuários e potenciais usuários para entender como esses grupos se dão nesse local.

Comunicação: Que Reflexões Emocionais Distintas Você Está Observando?

Você precisa então começar a criar uma narrativa. Aqui você irá aos consumidores, à casa deles, já munido de algumas hipóteses.

Entenda que tudo na casa se comunica. Tudo é pista. Nada está em um lugar por acaso. Tudo está posicionado para uma razão.

Aqui há a divergência dos eus. O eu idealizado, que queremos mostrar, com os objetos que colecionamos, nossas artes, geralmente à vista. E o eu real, privado, que está dentro de armários, geladeiras, guarda-roupas, ou pastas de computador.

Do que a pessoa se orgulha? Qual emoção cada roupa provoca? O que é mais importante na vida dela? O que mais preocupa essa pessoa?

Esses são todos fatores que você está tentando encontrar tanto direta como indiretamente.

Conexão: Quais São as Consequências do Comportamento Emocional

Na terceira etapa da Pesquisa de Subtexto de Martin Lindstrom você já tem algumas pistas, algum “small data”, que começa a revelar algumas coisas.

Agora, tente começar a fazer as conexões. Para que lugar essas pistas apontam? O que elas, conectadas, indicam? Há algo relacionado com sua hipótese inicial?

Você está procurando o “buraco” emocional aqui. O exagero de alguma coisa ou a falta de alguma coisa que está visível ou escondida nas entrelinhas.

Correlação: Em Que Momento os Comportamentos ou Emoções Apareceram Pela Primeira Vez?

Bom, agora você precisa entender quando isso aconteceu. Relacionar as coisas aos fatos. Quando a mudança de comportamento do consumidor ocorreu? Um casamento? Uma separação? Qual o momento marcante da vida da pessoa marcou uma grande mudança de comportamento?

A história da pessoa e seu passado tem grande influencia sobre a forma como ela age atualmente.

Causalidade: Que Emoção Isso Evoca?

Ao entender quando as mudanças ocorreram, observando fotos e revisitando lembranças, tente se perguntar: que emoções isso evocaria em um humano?

É necessário aqui empatia. Traga as questões levantadas com os observadores para tentar entender melhor essas mudanças.

Compensação: Qual é o Desejo Insatisfeito ou Não Realizado?

Agora que você já revisitou tudo isso, qual é o desejo que não está sendo atendido naquele lugar? Qual a melhor maneira de realizá-lo?

Procure pelos momentos mais felizes das pessoas. Faça um contraste entre esses momentos e o agora, balanceando pelo olhar dos observadores e as pistas encontradas.

O que não está sendo atendido para aquele consumidor naquele local?

Conceito: Qual é a Grande Ideia de Compensação Para o Desejo do Consumidor Que Você identificou?

Agora que você já está com “a faca e o queijo na mão”, qual o produto/serviço você acha que seria o ideal para suprir essas demandas reprimidas desses consumidores?

Como você pode usar essas histórias levantadas para criar um produto para aquele local e aquelas pessoas?

Aqui é o momento criativo. Você já está com toda informação em mãos, precisa agora ver o que fazer com ela.

Considerações Finais

Mas bom, era isso, espero que tenha ficado claro a Pesquisa de Subtexto de Martin Lindstrom e como ela se dá. Claro que para muitos é difícil se imaginar entrando na casa de alguém e fazendo uma pesquisa tão minuciosa.

Contudo, há formas de se adequar à realidade de cada um. Observe como o cliente se comporta no seu ponto de venda, o que ele evita, o que o atrai. Talvez uma tomada descoberta o faça instintivamente afastar-se do local pela segurança dos seus filhos. Talvez uma imagem religiosa a atraia ou a afaste, a depender das emoções que ela causa nessa pessoa.

Enfim, cabe a você observar e encontrar as pequenas pistas que farão você repensar o seu negócio.

Espero que tenha gostado!

E caso queira revisitar um pouco da conversa sobre o livro “Small Data”, de Martin Lindstrom, é só seguir abaixo.

Ir para: Resumo: Small Data, de Martin Lindstrom.

Inscreva-se no canal do Youtube.

[wd_hustle id=”Newslette” type=”embedded”/]

blogmundim

Ler o anterior

Resumo: Small Data, de Martin Lindstrom

Ler o próximo

Pesquisa de Opinião e Mercado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *