fbpx

Categoria: Marketing Acadêmico

O Marketing Cria Necessidades? Necessidades, Desejos e Demandas

O Marketing Cria Necessidades? Necessidades, Desejos e Demandas

“O marketing cria necessidades?” é uma pergunta muito comum de se ouvir no contexto do estudo do marketing…

Mas cria?

O marketing cria necessidades?

Fato é que não, o marketing não cria necessidades. Ele ajuda a despertar desejos!

E esse é um bom ponto de partida para discutirmos necessidades, desejos e demandas.

Necessidades, Desejos e Demandas

É muito comum no âmbito mercadológico falarmos em como criar necessidades nas pessoas… E dependendo do amplitude do conceito de “necessidade” que você usa até pode fazer sentido.

No entanto, temos, claro, um porém.

O conceito de necessidade no âmbito do marketing não é tão amplo.

As necessidades na literatura mais aceita é tida como algo interior.

Temos necessidades. Ponto.

As necessidades são internas nossas e não dependem de produtos e serviços existirem para que elas existam.

Elas simplesmente existem em nós.

Temos necessidade de nos alimentar, de nos sentir bem, de saciar nossa sede, de sermos prestigiados…

Enfim.

Temos diversas necessidades.

Sendo assim, o foco do marketing não é a necessidade, o marketing cria desejos.

Ou melhor, o marketing desenvolve e comunica experiências, produtos, serviços e ideias que despertam desejos em nós.

O desejo, portanto, é direcionado a algum produto, a algum serviço, a alguma experiência, enfim.

Sendo assim, os desejos são ancorados nas necessidades.

Por exemplo, temos a necessidade de sermos aceitos em nosso grupo.

Essa necessidade é nossa e existe. E queremos saciá-la. Queremos a aceitação do nosso grupo.

Nosso grupo possui certas características e gostos. Certas vivências que são traduzidas em consumo – não somente, mas também.

Sendo assim, podemos encontrar em um produto, como um carro esportivo, uma oportunidade para sermos aceitos no nosso grupo.

Esse carro esportivo transmite muitas informações culturais e sociais que nos dá o desejo de possuí-lo para que possamos saciar nossa necessidade.

Só há um porém.

Esse desejo nem sempre pode ser saciado.

Os desejos precisam de um fator financeiro para se tornarem demandas.

A demanda só existe quando temos capacidade financeira de realizarmos nosso desejo.

Assim temos os conceitos de necessidades, desejos e demandas.

Necessidades: internas, existem dentro da gente.

Desejos: direcionados a produtos, serviços, ideias, experiências etc. para saciar nossas necessidades.

Demandas: desejos que são traduzidos em intenção de compra. Existem pessoas dispostas a pagar por eles.

Afinal, o marketing cria necessidades?

Portanto, o marketing não cria necessidades. Cria desejos almejando a demanda.

E o que isso implica para nós?

Devemos entender as necessidades de nosso público-alvo e entender como é o contexto dele (o ambiente social, cultural etc.) para que possamos desenvolver produtos/serviços e um diálogo coerente que faça com que ele os deseje.

Por fim, precisamos desenvolver isso a um preço que seja coerente para ele, para que exista demanda.

Agora me responda:

Como você pode melhorar o seu produto/serviço ou a comunicação dele para que ele preencha mais as necessidades de seu público-alvo?

Inscrever-se no canal do Matheus Mundim!

Assine e receba conteúdos gratuitos e relevantes para você!

Leia mais sobre marketing digital:

Marketing Digital: O Que é? Como Funciona? Quem Faz? Como Fazer?

Marketing Digital Para Pequenas Empresas

Agência de Marketing Digital: Tudo o Que Você Precisa Saber

Como Está o Mercado Para o Profissional de Marketing Digital?

Como Montar Uma Empresa Totalmente Digital?

Como o Marketing Digital Pode Ajudar a Expandir Sua Empresa?

Qual a Diferença Entre ROI e ROAS no Marketing Digital?

Como Usar o WhatsApp no Marketing Digital?

Dá Pra Viver de Marketing Digital?

Principais Autores de Marketing

Principais Autores de Marketing

Quem São os Principais Autores de Marketing?

É difícil listar os principais autores de marketing, pois a cada ano que passa, novos estudiosos surgem com pesquisas e insights importantes. Além do mais, o marketing é praticado desde que há indícios de comunidade – sempre que há troca – e é objeto de estudo desde o começo do século XX. Assim, é necessário também estabelecer um limite temporal.

Como ponto de partida, podemos utilizar uma lista proposta pelo Chartered Institute of Marketing (CIM), em 2003. Este é um órgão com mais de 100 anos de suporte ao marketing e mais de 30 mil membros, logo possui uma grande propriedade e autoridade no assunto.

O CIM em 2003 propôs uma lista com 50 gurus que moldariam o futuro do marketing.

Hoje, 16 anos depois, esses autores servem como ponto de partida para pessoas que desejam se aprofundar no conhecimento sobre marketing, comportamento do consumidor e negócios em geral. Podem ser considerados como uns dos principais autores de marketing.

Outro fato interessante é que muitos desses mesmos autores tiveram obras aclamadíssimas em períodos recentes, o que torna a lista ainda de fato profética.

A lista possui os principais autores de marketing dentro dos mais assuntos. Desde aspectos mais sociais e críticos até a autores que já tratavam fortemente do marketing digital na época. Vale a pena investir alguns minutinhos em procurar autores mais relevantes nos seus tópicos de maior interesse.

Abaixo, segue a lista dos autores com uma de suas obras para referências. A lista não está em nenhuma ordem de ranking.

Os 50 Gurus do Marketing

1. David Aaker (Aaker on Branding: 20 Principles That Drive Success)

2. Tim Ambler (Marketing and the Bottom Line: The Marketing Metrics to Pump Up Cash Flow)

3. Simon Anholt (Competitive Identity: The New Brand Management for Nations, Cities and Regions)

4. Michael J Baker (The Marketing Book)

5. Drayton Bird (Commonsense Direct and Digital Marketing)

6. Stephen Brown (Brands and Branding)

7. Dave Chaffey (Digital Marketing)

8. Hugh Davidson (Offensive Marketing)

9. Leslie De Chernatony (From Brand Vision to Brand Evaluation)

10. Mark Earls (Herd: How to Change Mass Behaviour by Harnessing Our True Nature)

11. Barry J Gibbons (If You Want to Make God Really Laugh Show Him Your Business Plan: 101 Universal Laws of Business)

12. Malcolm Gladwell (The Tipping Point: How Little Things Can Make a Big Difference)

13. Seth Godin (This is Marketing: You Can’t Be Seen Until You Learn To See)

14. Evert Gummeson (Total Relationship Marketing)

15. Gary Hamel (What Matters Now)

16. Sam Hill (Radical Marketing: From Harvard to Harley, Lessons from Ten That Broke the Rules and Made It Big)

17. John Philip Jones (The Ultimate Secrets of Advertising)

18. Hermawan Kartajaya (Marketing 4.0: Moving from Traditional to Digital)

19. Bruce Kasanoff (How to Self-Promote Without Being a Jerk)

20. Philip J Kitchen (Integrated Marketing Communications: A Primer)

21. Naomi Klein (No Logo)

22. Ardi Kolah (Essential Law for Marketers)

23. Philip Kotler (Marketing Management)

24. Theodore Levitt (The Marketing Imagination)

25. Martin Lindstrom (A Lógica do Consumo; Small Data)

26. Steve Luengo Jones (‘All-to-one’: The Winning Model for Marketing in the Post-internet Economy)

27. Malcolm McDonald (Marketing Plans: How to Prepare Them, How to Use Them)

28. Regis McKenna (Relationship Marketing: Successful Strategies For The Age Of The Customer)

29. Frederick Newell (Why CRM Doesn’t Work: How to Win by Letting Customers Manage the Relationship)

30. Kenichi Ohmae (The Mind Of The Strategist)

31. Stanley Paliwoda (The Essence of International Marketing)

32. A. Parasuraman (Techno-Ready Marketing: How and Why Your Customers Adopt Technology)

33. Don Peppers (The One to One Future: Building Relationships One Customer at a Time)

34. Tom Peters (In Search of Excellence)

35. Nigel Piercy (Strategic Customer Management: Strategizing the Sales Organization)

36. John Quelch (Cases in Strategic Marketing Management: Business Strategies in Latin America)

37. Cees Van Riel (Principles of Corporate Communication)

38. Al Ries (The 22 Immutable Laws of Marketing)

39. Martha Rogers (The One to One Fieldbook: The Complete Toolkit for Implementing a 1 to 1 Marketing Program)

40. Don E. Schultz (Brand Babble: Sense and Nonsense about Branding)

41. Peter Senge (The Fifth Discipline: The Art & Practice of the Learning Organization)

42. Patricia B. Seybold (Customers.com: How to Create a Profitable Business Strategy for the Internet and Beyond)

43. Jagdish N. Sheth (The Self-Destructive Habits of Good Companies)

44. Rajendra Sisodia (The Rule of Three: Surviving and Thriving in Competitive Markets)

45. Merlin Stone (Relationship Marketing (Marketing in Action))

46. David Taylor (The Brand Gym: A Practical Workout to Gain and Retain Brand Leadership)

47. Jack Trout (Differentiate Or Die: Survival in Our Era of Killer Competition)

48. Hugh Wilson (New Marketing)

49. Yoram Wind (Beyond Advertising: Creating Value Through All Customer Touchpoints)

50. Sergio Zyman (The End of Marketing as We Know It)

E fim!

Talvez a lista seja um pouco polêmica por não conter alguns nomes bem famosos no marketing, que com certeza estão entre os principais autores de marketing, tal como David Hunt ou Michael Solomon, mas certamente contribui muito com o debate do marketing, tanto no ambiente corporativo, como no acadêmico.

E você, já leu algum desses autores?

Alguém importante ficou de fora?

Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos entusiastas do marketing!

Inscreva-se no canal do Youtube.

Gostou da lista? Que tal se inscreve no site?

Assine e receba conteúdos gratuitos e relevantes para você!